sexta-feira, 25 de maio de 2012

Dia Nacional da Adoção-Blogagem coletiva

A Danni Pivateli, do blog http://versosetc.blogspot.com.br/2012/05/dia-nacional-da-adocao-blogagem.html, sugeriu essa blogagem,eu vi e achei tão interessante,pois tantos filhos esperam pais de coração nesse mundo para poderem ter direito a uma vida digna,a uma família.
Na minha tenho dois primos de coração,inclusive um deles é o meu afilhado e é dele que gostaria de falar, da sua história,de como um acaso (que deve ter sido providenciado por Deus) trouxe um menino que hoje é um rapagão pra nossa família.
Lembro até hoje o dia que o falecido marido de minha tia Neuza chegou em casa com um bebezinho no colo,foi um alvoroço geral,pois todo mundo pensou que era algum filho que ele tinha tido fora do casamento.
Na verdade,ele ia passando na frente do hospital municipal e uma nefermeira disse que uma mulher queria dar o filho pra adoção,tinha acabado de nascer e ele não pensou duas vezes trouxe o menino pra casa.
Passado o alvoroço,pois um bebê tinha acabado de chegar e não tinha nada preparado pra isso,eu quando vi o bebê levei um susto tão grande, nunca tinha visto um menino tão pequenininho.Ele era prematuro,de sete meses, cabia na palma da nossa mão,tinha medo de carregar aquele bebezinho tão minúsculo.
Minha tia teve a única filha de barriga aos 42 anos, acho que o bebê chegou ela tinha uns 44, por isso tinha roupas da menina que ele usou em caráter de urgência.
Ele mamava na vizinha que tinha acabado de ter uma filha,menino era guloso e quando a titia carregava no colo ele procurava as tetas delas, aí veio o segundo milagre, os peitos da minha tia ficaram cheios de leite e o menino foi crescendo rápido,foi isso que salvou ele.
Lembro que ele demorou a andar,tinha um problema nas pernas e cansei de carregá-lo quando tinha consulta na capital e eu ia com minha tia com aquele menino que usava uma bota com uns ferros na perna,não foi nada fácil.
Mesmo com dificuldade pra andar, pra falar, ele sempre foi muito danado e a gente ria dele querendo imitar a irmã em tudo,minha tia não contou logo a verdade,ele soube aos 15 anos,passou por uma fase de revolta, por isso contem desde o início que o seu filho é de coração,vai ser mais fácil ele entender.
Hoje,me emociono,quando vejo que aquele bebezinho tão,mas tão pequeno, se transformou num rapagão,imenso,bom das pernas e que adora dançar, que ainda tem ciúmes da irmã, morre de amores pela sobrinha e estagia com o padrinho,meu marido, aqui no nosso pequeno escritório.
O menino cresceu,mas minha tia ainda pensa que ele é um bebê,rsrs.

 João e José Salvador

Deus nos concede muitas graças nessa vida e foi ele que trouxe João Kleber pra nossa com certeza!

Beijos

Para ler outros depoimentos,acesse http://versosetc.blogspot.com.br/2012/05/dia-nacional-da-adocao-blogagem.html

Eliene Vila Nova

8 comentários:

Dani Pivatelli disse...

Linda, linda história!
Emocionada!
Amanhã atualizo o post c seu link.
Bjs

Regiane / Monica disse...

Eli... que história linda e o João é um gato!!!
Parabéns pelas vitórias que o nosso Deus nos concede ao longo da jornada... Vale a pena passar pelo vale pois a benção que vem depois será nossa e de alegrias eternas...
Felicidades nessa nova etapa e que sua família seja abençoada desde de agora para todo sempre. Torço por ti. Com carinho Regiane/SP

Eliane disse...

Eliene Deus sabe o que faz né. Teu sobrinho é lindo e sabe se não tivesse lido a historia não acreditaria que ele e o José são só parentes de coração.A adoção sempre faz bem a todos que a cercão. Um beijo grande da Eliane.

Telma Maciel disse...

Que lindo o João, hein?! Realmente presente de Deus! E concordo com vc... o melhor é já ir contando a história da criança desde cedo, pq a revolta acontece qndo já são grandes. Nem sempre a revolta acontece, né?
Mas é bom saber que a felicidade e o amor da família prevaleceram e ele é esse rapagão aí!
Felicidades!
BJs

Tera Calazans disse...

Eliene, linda história! Tenho tres filhos,a do meio é uma menina e é filha do coração. Hoje ela está com 26 anos.É um amor de filha. Contei a verdade a ela quando tinha 3 aninhos e foi com naturalidade.Alguns pequenos problemas na adolecencia, mas nada que não acontece também com nossos filhos naturais.Segredinho: é mais carinhosa que os meninos. Marido e eu nos sentimos muito abençados.To passando também para convidar vc para participar do meu primeiro sorteio. Bora lá?

Adelaide Araçai disse...

Linda a história de seu primo...um ser abençoado que eu creio escolheu a familia antes de vir ao mundo.
Parabéns a voces por terem presenciado este milagre de encontro.

Abraços

P.S.: eu também estou participando
http://euseivoucontar.blogspot.com.br/2012/05/adocao-e-grande-felicidade.html

Luma Rosa disse...

Nada é por acaso!! Deus coloca pessoas no nosso caminho e basta-nos reconhecer essas pessoas com a qual dividiremos alegrias, bem mais que tristezas.
Também estou participando mas somente agora a pouco cheguei em casa para poder visitar os participantes da coletiva!
Boa Blogagem!!

Claudiene M.A. Finotti disse...

Morri aqui!!!

Essa história da sua tia ter leite me emocionou! Sabe, acho que todo filho é adotivo, pensando bem. Uns saem do coração e nos são confiados por Deus, pelos juízes ou mães. Os da barriga são linha direta com Deus mesmo, mas todos são emprestados, confiados a nós como bens preciosos de Deus.

Seu sobrinho é lindo e já vi que é corujíssimo com seu fofuxo!

Beijo grande.

Clau

Related Posts with Thumbnails